Aloimunização em Pacientes com Anemia Falciforme

Publicado em em
Categoria

Aloimunização em Pacientes com Anemia Falciforme

O presente trabalho tem por objetivo verificar a prevalência de antígenos eritrocitários em amostras de pacientes portadores de Anemia Falciforme provenientes de um Banco de Sangue na cidade São Paulo. Foram analisadas 219 amostras: 51amostras apresentaram anticorpos irregulares de diferentes tipos de grupos sanguíneos e 168 negativas. Essas amostras que foram negativas para a pesquisa de anticorpos irregulares e as bolsas a serem transfundidas foram fenotipados para os principais antígenos de grupos sanguíneos RhD e Kell.

Porém, isso não impede que sejam sensibilizados por outros grupos sanguíneos, que não foram fenotipados no momento. Dos pacientes aloimunizados, 05 possuem presença de anti-D, 16 de anti-C, 01 de anti-Cw, 02 anti-c, 16 anti-E, 05 anti-e, 08 anti-K, 06 anti-Fya, 03 anti-Fyb, 04 anti-Jka, 03 anti-Jkb, 02 anti-Lea, 01 anti-M, 03 anti-S, 01 anti-P1, 02 anti-F, 01 anti-Dia, 03 Auto-IgG indeterminada, 04 Crioaglutinina indeterminada e 24 com associações de diferentes anticorpos.

Os pacientes com anticorpos do sistema RhD e Kell podem estar relacionados ao fato de serem politransfundidos ou recebido bolsas com extrema urgência, sem a realização da fenotipagem. 27 das amostras possuíam apenas um anticorpo, 18 possuíam dois anticorpos, 02 pacientes possuíam três anticorpos, 03 pacientes possuíam quatro anticorpos e 1 paciente possuía cinco anticorpos. Do total de aloimunizados, 36 (71%) eram do sexo feminino e 15 (29%) do sexo masculino.

A maior frequência de aloimunização foi entre o gênero feminino, isso pode estar relacionada a possível gravidez.Os anticorpos do sistema Rh e Kell apresentaram maior incidência, sendo o mais frequentes o Anti-C (3%) e Anti-E (3%). Dos 219 pacientes apenas 51 apresentaram presença de anticorpos irregulares, o baixo índice de aloimunização eritrocitária pode estar relacionado à imunidade de cada indivíduo e também a sensibilidade dos métodos utilizados na detecção dos anticorpos irregulares.

Dos 51 pacientes com presença de anticorpos irregulares, 71% são do sexo feminino, isso demonstra a necessidade de mais atenção e prevenção quanto à pacientes do sexo feminino e com gestação para que se possam reduzir os índices de aloimunizações.

É de grande importância o desenvolvimento de estratégias que possam prevenir a aloimunização e assim evitar maiores dificuldades no atendimento desses pacientes. Fazem-se necessárias mais pesquisas a cerca da Anemia Falciforme e os aloanticorpos para que se possam elucidar as dúvidas cada vez mais e melhorar o atendimento.

Doutora Cecília Alencar ¹

Pereira CR1, Oliveira N1, Alencar CS1;2 1.IPESSP 2.Instituto de Medicina Tropical USP.  

Compartilhe