Cirurgias do coração realizadas pela manhã têm maior risco, aponta estudo

Publicado em em
Categoria

Cirurgias do coração realizadas pela manhã têm maior risco, aponta estudo

Os riscos decorrentes de cirurgias de coração aberto quase dobram quando a intervenção ocorre pela manhã e não à tarde, revela um estudo publicado pela revista “The Lancet”.

“A cirurgia cardíaca é segura e com poucas complicações em termos gerais, mas quando olhamos os detalhes, parece que a intervenção durante a tarde confere uma proteção ao coração”, destaca o principal autor do estudo, David Montaigne, cardiologista da Universidade de Lille, no norte da França.

O ritmo circadiano é o mecanismo que regula os ciclos de sono e vigília no organismo, influenciando na segregação de hormônios e até na temperatura do corpo.

Quando este é alterado, de forma reiterada e por longos períodos, pode agravar doenças como depressão e transtorno bipolar, e afetar as funções cognitivas e da memória, revelam vários estudos.

“O momento do dia, pelo relógio biológico e o ritmo circadiano, influencia a reação do paciente a este tipo de operação”, disse à AFP o doutor Bart Staels, do Centro Hospitalar Regional Universitário (CHRU) de Lille. “A diferença (de risco) não é desprezível”.

Os pesquisadores analisaram os dados de 600 expedientes de cirurgias para a substituição de válvulas, de manhã e à tarde.

A análise revelou que os pacientes operados durante a tarde têm um risco duas vezes inferior de apresentar complicações graves após a cirurgia (9,4% contra 18,1%).

Os pacientes operados entre janeiro de 2009 e dezembro de 2015 foram monitorados durante os 500 dias posteriores a cirurgia e “também houve diferenças a médio e longo prazo”, disse Staels.

Segundo o estudo, esta diferença está ligada à tolerância à isquemia, a privação de oxigênio que sofrem as células cardíacas devido a interrupção do funcionamento do coração durante a cirurgia.

Pesquisas realizadas com ratos de laboratório revelaram que a proteína Reverb alpha, vinculada aos ritmos biológicos, está mais presente no organismo pela manhã.

“Se ela é suprimida, durante o período do despertar, a suscetibilidade do animal à isquemia muda”, destaca o estudo.

Compartilhe