Análises Clínicas – Da Prática Laboratorial à Interpretação Clínica

Carga horária 420 Horas
Data Confirmada Em 15/02/2020
mensal
Data Confirmada Em 11/12/2019
semanal

Análises Clínicas – Da Prática Laboratorial à Interpretação Clínica

Ícone Doc sobre o curso

A medicina laboratorial está entre as áreas biomédicas que mais evoluíram ao longo dos anos. O setor laboratorial tem passado por modificações importantes. Não somente pela evolução tecnológica em equipamentos e ensaios, mas também no que diz respeito à gestão de pessoas, processos e modelos de negócio, atendimento adequado aos diferentes tipos de clientes, qualidade intra e extra laboratorial, inovação e empreendedorismo pessoal.

O profissional do laboratório deve ter sua atenção direcionada à qualidade técnica dos exames em bancada e também na gerência de seu tempo, postura e atendimento laboratoria..

Durante esta Pós em Análises Clínicas, o profissional terá conhecimento dos equipamentos e ensaios, com objetivo de obter a melhor interpretação e correlação clínica-laboratorial, participando constante e efetivamente das discussões e tomadas de decisões junto a equipe multiprofissional em saúde.

A Pós-Graduação no IPESSP possui 60% da sua carga horária em aulas práticas e na resolução de problemas complexos em análises clínicas. Para tanto, além das práticas laboratoriais, os estudantes e professores participam juntos de metodologias ativas que de fato visam desenvolver no pós-graduando as habilidades e competências necessárias para a resolução de problemas, tomadas de decisão, ingresso e atuação no mercado de trabalho atual.

Os alunos são preparados a utilizar técnicas de investigação de anemias, doenças neoplásicas, plaquetopenia, distúrbios hemostásicos, entre outras; a partir de parâmetros laboratoriais baseados nos últimos avanços científicos e biotecnológicos.

Nesta Especialização em Análises Clínicas, os alunos elaboram de projetos de pesquisa, seminários, aprendem aspectos administrativos necessários para a implantação e gestão de laboratórios de análises clínicas.

Público-alvo: Profissionais graduados em Biologia, Biomedicina, Farmácia-bioquímica, Medicina e Medicina Veterinária.

Ícone Doc Grade disciplinar

A Pós-graduação em Análises Clínicas do IPESSP aborda as novas tendências em métodos de diagnóstico laboratorial para o tratamento de patologias por meio da identificação de bactérias, fungos, vírus e doenças parasitológicas relevantes em seres humanos que comprometem o metabolismo bioquímico.

  • Biossegurança no laboratório clínico, ética e postura profissional
  • Programas internos e externos de qualidade laboratorial / RDC 302 de 13 de outubro de 2005
  • Discussão sobre a ABNT NBR ISO 15189 e programas de acreditação laboratorial
  • Imunidade inata e adquirida (revisão geral)
  • Discorrer sobre os ensaios de imunofluorescência (FAN, ANCA) aplicação clínica e laboratorial, reagentes, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Discorrer sobre o ELISA (pesquisa de autoanticorpos) e quimioluminescência para hepatites (aplicação clínica e laboratorial, reagentes, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Discorrer sobre os ensaios de Western Blotting para HIV, aglutinação para ASLO, FR, PCR, VDRL (aplicação clínica e laboratorial, reagentes, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Western Blotting para HIV
  • Introdução a virologia e viroses humanas; discorrer sobre aspectos clínicos e laboratoriais / apresentar os exames, a implantação do setor nos laboratórios, discutir sobre os equipamentos e valores
  • PCR convencional e em tempo real e da captura híbrida (aplicação clínica e laboratorial, reagentes, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • bDNA e genotipagem de HCV (aplicação clínica e laboratorial, reagentes, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • PCR convencional
  • Hematologia básica (revisão geral)
  • Procedimentos de coleta, extensão sanguínea e coloração (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Hemograma – como fazer e interpretar (aplicação clínica e laboratorial, reagentes, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Hemograma – como fazer e interpretar (abordar metodologias manuais para contagem de eritrócitos, leucócitos, plaquetas e hematócrito)
  • Anemias e Leucemias (abordar as doenças mais prevalentes, hemogramas e discutir resultados e clínica)
  • Estudo prático em lâminas contendo alterações hematológicas e lâminas contendo esfregaço sanguíneo normal
  • Contagem de reticulócitos e VHS
  • Eletroforese de hemoglobinas e teste de fragilidade capilar (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Hemostasia, cascata da coagulação e coagulopatias (revisão geral)
  • TC, TS, TP, TTPA, fibrinogênio (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • TS, TC, TP, TTPA manual
  • Bioquímica clínica (revisão geral, aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Bioquímica clínica (revisão geral, aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Bioquímica clínica (revisão geral, aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Manutenção básica em equipamento de bioquímica, princípios do funcionamento e das reações em bioquímica
  • Gasometria arterial e equipamentos para determinação de eletrólitos (revisão geral, aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • O laboratório clínico e o setor de hormônios (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Ensaios bioquímicos manuais e discussão de casos
  • Câmara de Neubauer e Fuchs-rosenthal (revisão geral)
    Urina tipo I e de 24 horas: análise físico-química, bioquímica e sedimentoscopia
  • Urina tipo I e 24 horas (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Espermograma (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Líquor e demais líquidos cavitários (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Microbiologia clínica (revisão geral)
  • Preparação de meios de cultura, bactérias e fungos
  • Semeadura inicial e microscopia (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Cultura de líquidos cavitários, materiais respiratórios, anaeróbios, micobactérias, urocultura, coprocultura, hemocultura e materiais genitais (cuidados básicos, meios específicos, semeaduras, etc)
  • Interpretando o antibiograma (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Micologia (revisão, desafios do cultivo de fungos, testes de sensibilidade, interferentes, casos laboratoriais e clínicos)
  • Parasitologia clínica (revisão geral)
  • Métodos parasitológicos (aplicação clínica e laboratorial, insumos, equipamentos, interferentes, discussão de casos clínicos)
  • Desenvolvimento de método e análise de material em lâminas
  • Métodos diagnósticos para coccídeos intestinais, malária, leishmaniose, entre outros / análise prática da malária e leishmaniose em lâminas de sangue
  • O laboratório clínico e o Sistema Único de Saúde (SUS)
  • Como abrir meu laboratório? Abordar setores laboratoriais, espaços, planta de laboratórios. Discutir RDC 302 de 13 de outubro de 2005.
  • Marketing em saúde

Ícone Doc Nossa Coordenação

Éric Diego Barioni

Graduado em Biomedicina com título de mestre e doutorando em ciências com área de concentração em toxicologia e análises toxicológicas na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP. É especialista em Toxicologia pela Associação Brasileira de Biomedicina; é habilitado em Análises Clínicas (Patologia Clínica) e Toxicologia pelo Conselho Regional de Biomedicina 1ª Região (CRBM-1). É docente de curso de Pós-graduação. Presidente da Comissão de Toxicologia e Conselheiro Honorário do Conselho Regional de Biomedicina da 1ª Região (CRBM-1) .

Ícone CV Latter

Ícone Doc Informações para matrícula

O Sistema de Matrícula Online do IPESSP possui as seguintes etapas:

1ª Etapa – Fazer a Pré-inscrição na página do curso

2ª Etapa – Em caso de aprovação fazer o pagamento da taxa de matrícula por débito, crédito ou boleto bancário no link “PAGUE AQUI SUA MATRÍCULA” que se encontra na página do curso de interesse ou pode ser paga por depósito bancário e enviar o comprovante para marketing@ipessp.edu.br

3º Etapa – Assim que o pagamento for realizado e a turma confirmada, será enviado um Login e Senha de acesso no link do nosso Sistema de Matrícula Online, para preencher a Ficha de Matrícula e anexar:

. Documentação pessoal: CPF, RG, Comprovante de Residência, Certidão de Nascimento/Casamento, CV

. Documentação acadêmica: Histórico da Graduação e Declaração de Conclusão da Graduação (se ainda não tiver o Diploma)

. Ter acesso ao contrato assinar e trazer uma cópia junto com a cópia autenticada do Diploma de Graduação no primeiro dia de aula.

Você também poderá nos fazer uma visita no endereço:

Rua Dona Antonia de Querós, 333, Consolação – São Paulo-SP



Clique aqui para visualizar o Credenciamento FIPESSP, Portaria n° 1.272, publicada no D.O.U

Quantidade de
Alunos
25
Matricula
Valor do Investimento
200,00
Mensal
Valor do Investimento
24x de 499,00
Mensalidade Noturno
Valor do Investimento
16x de 589,00

Mais Informações

Deixe seus dados para que possamos entrar em contato.

Inscrição no curso

Faça agora mesmo sua inscrição e garanta sua vaga.



Previsão de Inicio: 15/02/2020 - mensal | 11/12/2019 - semanal | 11/02/2017 -
Quantidade de Vagas: 25
Carga Horária: 420 horas
Observação: É reservado ao IPESSP o direito de alterar datas, horários, programas e cancelar o curso caso não seja atingido o número mínimo de inscritos. Neste caso, o candidato poderá solicitar o reembolso do valor pago da matrícula ou, então, aguardar pela nova data a ser comunicada via e-mail ou telefone. Caso a turma prevista aconteça, mas o candidato não queira mais participar da mesma, o pagamento da matrícula não será devolvido para cobrir os custos administrativos.



Voltar e ver página de detalhes do curso

Quiz IPESSP


Para visualizar o Quiz e testar o seu conhecimento, coloque abaixo o seu e-mail:

GESTÃO DA QUALIDADE
1- Indicadores são ferramentas para o acompanhamento e avaliação de processos. A sua medição permite o levantamento de informações que propiciam a avaliação e comparação de determinado processo a sua evolução ou a metas estabelecidas, sendo imprescindíveis nos Sistemas de Gestão de Qualidade. Nos Laboratórios Clínicos, acompanharam a implantação dos programas de certificação e acreditação e evoluíram para programas de indicadores que permitem o comparativo interlaboratorial. Atualmente sua utilização é uma exigência da RDC 302, do PALC e da ISO, a fim de permitir o monitoramento do laboratório em todas as suas fases. Estudos mais recentes já definem e propõem a utilização de um grupo preestabelecido de Indicadores para Laboratórios Clínicos.
Entre as alternativas, referentes aos indicadores, assinale a opção correta:

HEMOSTASIA
2- O tempo de protrombina (TP) é um parâmetro de coagulação utilizado para avaliar a hemostasia do paciente. Alteração no tempo de protrombina indica:

PARASITOLOGIA
3- Indique a alternativa que lista somente doenças que têm artrópodes como transmissores ou hospedeiros intermediários do agente causador:

4- Recentemente, tem havido no estado de São Paulo inúmeros casos de leishmaniose visceral ou calazar. Assinale a alternativa que cita, corretamente, o agente causador, a forma de transmissão e a profilaxia dessa doença.

VIROLOGIA
5- As hepatites virais são doenças provocadas por diferentes agentes etiológicos, com tropismo primário pelo fígado, que apresentam características epidemiológicas, clínicas e laboratoriais distintas (Ministério da Saúde). Em relação à Hepatite A, é possível detectar e diferenciar com a utilização de anticorpos específicos indivíduos com imunidade naturalmente adquirida (infecção passada) ou com imunidade vacinal de indivíduos com fase aguda da infecção. No que se refere aos anticorpos utilizados no diagnóstico de Hepatite A, observe as opções abaixo e indique a alternativa que representa o diagnóstico de um indivíduo com imunidade naturalmente adquirida.




Voltar e ver página de detalhes do curso
Compartilhe